Esportes

Em clássico movimentado, Avaí e Figueirense empatam sem gols

Em clássico movimentado, Avaí e Figueirense empatam sem gols

O maior clássico do futebol catarinense passou como um trem-bala pelo Estádio Orlando Scarpelli,neste domingo, em Florianópolis. Em jogo veloz, intenso e de alta voltagem, Avaí e Figueirense agitaram a partida que fechou a sétima rodada do returno do Campeonato Estadual. Só ficou faltando um detalhe na viagem: o gol.

A partida começou movimentada. Antes dos cinco minutos, o zagueiro Leandro Almeida fez duas faltas duras e provocou o primeiro tumulto da partida. O que mostrava que a equipe alvinegra estava disposta a mandar para bem longe a má fase.

Com marcação adiantada e muita intensidade, o Furacão acuou o Leão no campo de defesa. Com a escalação do lateral-direito Dudu no meio de campo e contando com as roubadas de bola de Hélder, o time da casa chegou com perigo em chutes de fora da área, obrigando goleiro Kozlinski a salvar o grupo azurra em pelo menos três oportunidades.

Com dificuldade na saída de bola, o Avaí apostou na velocidade do lateral-esquerdo Capa e na experiência do capitão Marquinhos para criar algo efetivo. Primeiro, Capa fez boa jogada individual pela esquerda. Depois, o meia viu um companheiro livre, mas ambas as jogadas não levaram perigo à meta de Thiago Rodrigues. O Figueirense não diminuiu o ritmo e acabou o primeiro tempo melhor que o rival.

 A vez do Leão da Ilha pressionar o rival

A equipe da casa manteve a proposta no segundo tempo. Mesmo com menos intensidade, o Figueirense seguiu pressionando nos primeiros minutos da etapa complementar. Hélder soltou uma pancada de fora da área e Koslinksi se esticou para salvar no canto.

Mas o Avaí tratou de fazer sua parte para deixar a jornada mais emocionante. Marquinhos desperdiçou uma chance na marca do pênalti e outra em cobrança de falta. O técnico Claudinei Oliveira colocou Denílson e movimentou ainda mais a partida. Na primeira oportunidade, o atacante fez boa jogada pela esquerda, chutou e Thiago Rodrigues espalmou. Na segunda, mandou de voleio e foi bloqueado por Weldinho. O Leão reclamou de um toque no braço do jogador alvinegro.

No saldo do clássico, o único lamento cabível foi a falta de bola na rede.

– Feliz não estamos, porque a gente precisava muito deste resultado. É um clássico, sabemos que é difícil, mas o grupo lutou – disse o lateral Marlon, do Figueirense.

No lado do Leão, o capitão Marquinhos preferiu não entrar em polêmica com a arbitragem após o jogo.

– A bola bateu na mão, tem que ver se o braço tava aberto. Não questionamos muito a decisão do árbitro. Ele fez um grande jogo, nós também ajudamos ele, e quando o jogador quer ajudar, o árbitro passa despercebido – ponderou o meia azurra.

Na próxima rodada, o Figueirense vai a Tubarão em busca da vitória para afastar de vez o fantasma do rebaixamento. Já o Avaí encara o Almirante Barroso, em casa, ainda sonhando com o título do returno.

Ficha técnica

Figueirense (0)
Thiago Rodrigues; Weldinho, Bruno Alves, Leandro Almeida, Marlon, Helder, Patrick, Yago, Dudu (Ermel), Índio, Elias (João Pedro)

Técnico: Márcio Goiano

Avaí (0)
Kozlinski; Leandro Silva, Betão, Alemão, Luan, Capa, Diego Jardel (Denilson), Judson, Junior Dutra, Marquinhos e Romulo

Técnico: Claudinei Oliveira

Cartões amarelos: Marlon, Patrick e Elias (F); Judson (A)

Arbitragem: William Machado Steffen, auxiliado por Kleber Lucio Gil e Alex dos Santos.

Público: 8.463 torcedores.
Renda: R$ 218.186,00.
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Fonte: DC

radiofloripa

abril 9th, 2017

No Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *