Sem categoria

Figueirense e Avaí travam embate na competição à parte que fazem

Figueirense e Avaí travam embate na competição à parte que fazem

Jamais uma das tantas frases do bordão futebolístico caiu tão bem para o clássico Figueirense x Avaí: “Clássico é um campeonato à parte”. Diferente dos últimos, a rivalidade será o bastante para garantir toda a carga de emoção embutida no encontro entre os times de Florianópolis pela primeira vez na Primeira Liga. Mandante, o Figueirense tem pretensão e necessidade. Ao Avaí, basta que o adversário seja o Figueira. Mas há um pouco mais em disputa no jogo que acontece a partir das 19h30min no Estádio Orlando Scarpelli.

Levando ao pé da letra o jargão futebolístico, o campeonato à parte deste século teria a vantagem do Figueirense. De 2001 para cá, alvinegros e azurras se enfrentaram em 54 jogos. O Furacão leva vantagem sobre o adversário, com 19 vitórias contra 15 triunfos dos avaianos. Como não poderia deixar de ser, o empate ainda é o resultado mais recorrente, 20 vezes. O Furacão tem mais gols que o adversário: 70 a 58.

O Alvinegro precisa aumentar a diferença para tentar chegar à segunda fase da Primeira Liga. Tem o Orlando Scarpelli como um trunfo também no acumulado deste campeonato à parte no século. Venceu 10 e empatou nove das 27 partidas na casa preta e branca.

A vantagem do adversário é um fator e tanto para que o Avaí entre com força máxima – havia a possibilidade que os atletas do time considerado titular fossem poupados para as finais do Estadual. Isso porque o Leão não tem chance alguma de classificação na Primeira Liga. A rivalidade é mais forte, além do treinador Claudinei Oliveira deixar claro que o confronto tem exigência e cobrança simplesmente por envolver o arquirrival.

Ainda haverá muitos jogos no tal campeonato à parte neste século. No entanto, é a última chance de acabar com o equilíbrio neste ano: nos dois encontros pelo Estadual, os times não saíram do zero.

Novo começo para o Figueira

O clássico dará uma grande oportunidade aos Alvinegros. Isso porque a partida pode mudar a imagem ruim pelos resultados desde o início do ano. O Figueira foi eliminado ainda na primeira fase da Copa do Brasil e pode passar o returno do Catarinense com apenas uma vitória e um gol assinalado, muito longe da pretensão de estar na decisão. A segunda fase da Primeira Liga deve ocorrer somente em agosto, mas avançar pode dar outro significado ao semestre do clube.

– É uma luz no final do túnel. Ainda existe a classificação para nós, o discurso é esse – decretou o treinador Márcio Goiano.

Não basta vencer. O Furacão precisa do triunfo para igualar a pontuação do Paraná Clube e retirar a diferença de dois gols de saldo, critério de desempate. O 3 a 0 é o ideal para a equipe, mas há possibilidade de avançar com combinações de placar de dois gols de vantagem. Uma dura missão, já que a dificuldade do time para balançar as redes é grande.

Vitória para dar moral

Disputar uma partida oficial contra o arquirrival é o bastante para o time azurra entrar em campo para competir. O Avaí chega ao último jogo da fase de grupos da Primeira Liga sem chance alguma de classificação. Porém, conforme o técnico Claudinei Oliveira há mais que um clássico na agenda do Leão.

– Em termos de classificação não vale nada, mas tem cobrança e exigência. A ideia é utilizar a partida como preparação para as finais do Catarinense e os jogos das finais para conquistar o título – justificou o comandante do Avaí.

Esta deve ser o último embate da equipe considerada titular do Avaí antes do confronto decisivo pelo título do Campeonato Catarinense, a partir do fim de semana seguinte, ante a Chapecoense. A formação será a mesma de jogos recentes.

Antes de enfrentar o time do Oeste nas duas partidas decisivas, o Leão ainda tem um confronto contra o Inter de Lages. Cinco jogadores considerados titulares estão suspensos neste duelo.

Ficha técnica

Figueirense
Thiago Rodrigues; Weldinho, Bruno Alves, Trevisan e Marlon; Patrick, Helder e Yago; Dudu, Matheusinho (João Pedro) e Índio.

Técnico: Márcio Goiano

Avaí
Kozlinski; Leandro Silva, Betão, Alemão e Capa; Luan, Judson e Marquinhos; Diego Jardel, Júnior Dutra e Romulo.

Técnico: Claudinei Oliveira

Arbitragem: Anderson Daronco, auxiliado por Carlos Berkenbrock e Johnny Barros de Oliveira.
Horário: 19h30min
Local: Estádio Orlando ScarpellI, em Florianópolis.

Fonte: DC

radiofloripa

abril 20th, 2017

No Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *